domingo, 4 de fevereiro de 2007

Dia 11 há Referendo


A Pergunta:

«Concorda com a despenalização da interrupção voluntária da gravidez, se realizada, por opção da mulher, nas primeiras 10 semanas, em estabelecimento de saúde legalmente autorizado?»

[Pedro Russo]

9 Comentários:

Às 2:47 da tarde , Blogger Clandestino disse...

Como estamos num espaço de debate, aqui fica a pergunta mais falada em Portugal

 
Às 7:20 da tarde , Anonymous Sara R. disse...

resposta à pergunta:

claro que SIM!

 
Às 11:06 da tarde , Blogger Clandestino disse...

Se o «SIM» ganhar:

1-É retirada a pena de prisão até três anos para as mulheres que abortem, quando o façam até às 10 semanas.

2- O aborto passa a ser realizado em estabelecimentos de saúde legalmente autorizados.

3- A prática de aborto passa a implicar, obrigatoriamente, que a mulher receba informação sobre contracepção.

Jovens pelo SIM

 
Às 11:24 da tarde , Blogger Unidos na Diversidade disse...

e se o «Não» ganhar? Em que ficamos?

 
Às 8:08 da tarde , Blogger Nuno Fernandes disse...

Votem! Votar devia ser um dever cívico.

 
Às 1:38 da tarde , Anonymous Rita disse...

Votar é um dever cívico e um direito.E até devia ser obrigatório,mas isso já é outra conversa!Aproveitando para fazer campanha esperemos que o Sim ganhe!

 
Às 1:22 da manhã , Anonymous miguel disse...

Aproveitando as deixas do Nuno e da Rita, digo:

votar não pode ser obrigatório porque ninguem é obrigado a interessar-se por política.

E não é de estranhar o desinteresse reinante, para mais num tempo em que a dedicação à "causa pública" trás tão pouco reconhecimento público - como dizia o professor Viriato numa aula - ao contrário do tempo da democracia grega, em que esta era a actividade principal dos cidadãos.

Se as feministas que lutaram pelo Direito de voto das mulheres previssem que cedo este se tornaria um dever também, como hoje se diz que é, penso que não teriam lutado com tanta genica.

Porque depois de se garantirem o direito a votar, começaram a sentir que lhes estavam a obrigar a votar.

Porque passar de algo que é um direito para algo que é um dever é uma mudança enorme e catastrófica que não estava na cabeça das feministas.

O direito de votar é exercido na liberdade e por gente livre, que crê que tem capacidade para decidir o melhor para si e para os seus.

O dever de votar é exigido num clima de enfraquecimento da democracia e tem como consequencia que mesmo quem não se sinta minimamente informado e apto para votar se sinta obrigado a fazê-lo.

Isto abre espaço a que os resultados de uma votação não reflitam o que as pessoas pensam, mas sim qual a ideia "fast food" mais convincente que se vendeu às pessoas no período de campanha e a que estas se agarraram por facilitismo.

O tal dever de votar parece-me uma lengalenga desprezível que desde a primária nos têm incalcado e que, em ultima análise, leva pessoas pouco instruidas como as velhas da aldeia da minha avó a ir votar porque sim, ou porque tal defensor de tal ideia é o que "tem mais cara de boa pessoa" ou aquele que "fala muito bem".

Votar é um direito inalianável, não uma obrigaçao.

Não?

 
Às 5:00 da tarde , Anonymous hugo disse...

Já foi o referendo e ficámos mais livres todos. Especialmente as mulheres. Talvez agora se veja um pouco menos de hipocrisia e mais ponderação no que por aí se diz, e especialmente, no que por aí se faz.
Miguel tou de acordo contigo no que diz respeito à obrigatoriedade do voto e completamente em desacordo com tudo o resto ! abraços e boas reflexões para todos

 
Às 12:33 da manhã , Anonymous Rita disse...

Razões porque penso que o voto devia ser obrigatório:

1-Só com o voto obrigatório tu consegues perceber eficazmente qual é a opinião da população.Porque obriga a que todos percam um bocadinho de tempo,para dar a sua opinião.

2-Se não s tem opinião formada sobre o assunto,se não se acredita em qualquer partido político votas em branco.E se os votos em branco forem muitos percebe-se que a informação não chegou ou que já não se acredita em partidos político.

3-Votar não visa mostrar o interesse que se tem ou não pela política,visa mostrar se te interessas ou não pelo país em que vives e se queres fazer parte de uma mudança ou deixar tudo como está (o que não é sinónimo de ser mau!).

4-Só quem vota pode realmente expressar com coerência e digo com coerência porque vivemos num país livre e dizemos o que queremos (supostamente!).Só se eu fôr votar posso realmente criticar o que de bom e de mau se passa no meu país,porque participei no momento em que me pediram a opinião.

5-Sendo o voto brigatório implica que tu procures informação e não te descartes dessa função.Não sabes o que eles querem que tu votes perguntas a alguém porque de certeza esse alguém te vai informar.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial