sábado, 24 de março de 2007

Democracia na Faculdade de Letras

Escrevo para informar, quem ainda não sabe, que vivemos num país muito democrático e frequentamos uma faculdade muito democrática.Tanto que chegamos a ter uma lista de skinheads candidata à Associação de Estudantes!
Tanto que até chegam a vir cerca de 40 skinheads à nossa faculdade paraimpedir - através do cachimbo da paz e da diplomacia, decerto - estudantes desta casa de fazerem um graffiti a favor da democracia.
Esta deprimente cena deu-se no dia 15 de Março, passada quinta-feira, e não teve consequências de maior porque estava cá a polícia de intervenção. Lamento verificar que quando os opositores desses grupos de skinheads apresentam o mesmo número de efectivos e a mesma largura de ombros, eles de repente deixam de querer lutar e morrer pelos seus ideais.
Assim sendo, é normalíssimo que os exércitos e as forças de intervenção europeias estejam a ajudar os americanos a lutar contra os terroristas do mundo, que por acaso nadam em petróleo, enquanto temos grupos deste calibre de violência à porta de casa.
Neste contexto é justo dizermos que somos democratas e justíssimo bloquear a entrada da Turquia para a União Europeia. Afinal nós somos muito superiores aos turcos: respeitamos a democracia, lutamos pela liberdade e garantimos a igualdade.
Votar em consciência implica não dar voz a quem não a usa, não dar voz aquem persegue os seus ideais pela força, pela violência, pela cobardia.
Post de: Marta Saavedra

3 Comentários:

Às 7:29 da tarde , Anonymous Rita disse...

Quero acreditar(e vou esforçar-me para isso) que a Faculdade de Letras vai continuar a ser um sítio em que a liberdade,os direitos e valores fundamentais continuem a ser respeitados como pilares basilares de qualquer instituição democrática.

 
Às 12:41 da manhã , Blogger Nuno Fernandes disse...

A Faculdade de Letras é, a meu ver, um antro de podridão pseudo-intelectual. Baseada em pilar algum, a faculdade não tem ponta por onde se lhe pegue, até porque ninguém ousa pegar no pilar da democracia, tão frágil que esta acaba por ser.
Eu não chamaria de cena lamentável o que se sucedeu na quinta-feira. Chamaria, pois, de um anúncio austero para o que aí vem. Liberdade e direitos fundamentais à muito que se perdem no meio daquela instituição. E não coloquemos agora a raiva toda nos extremistas da direita.

 
Às 8:14 da tarde , Anonymous Marta Saavedra disse...

Concordo ctg Nuno quando dizes que a nossa faculdade é 1 antro de pseudo intelectuais e, principalmente, quando chamaste àquela pobreza de espírito o "anúncio austero p o k aí vem". Não é de hoje q reportagens televisivas revelam a preocupante proliferação de grupos de extrema direita por todo o continente europeu. Espanta-me o perfeito marasmo com q as autoridades assistem ao recrutamento de um exército q atinge proporções consideráveis. Pelos vistos, nem todos os europeus apreciam a experiência de 50 anos de paz! E, pelos vistos, não se ensaiam nada em comprometê-la!
Os princípios democráticos encontram-se decrépitos e a sua prática é falseada? Acho q a culpa é mto nossa: democracia supostamente significa "governo do povo". Pois o povo revela mto + interesse pelas Burras e pelos Nerds do q pela realidade do país. Contudo, e enquanto defensora do projecto europeu, considero os grupos de extrema direita um grave problema.
E já agora, caso algum visite este blog, quando falam em defender a manutenção da pureza dos portugueses de raça branca estão a referir-se exactamente a qual raça?! O território hoje ocupado por Portugal já foi habitado por quase todos os povos do mundo... Povos migrados da Europa central e oriental, da Ásia, invasões de povos do norte da Europa e do norte de África, gregos, fenícios, cartaginenes, hunos.... Pureza? Qual pureza?!

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial